- HOME -COLABORADORESHISTÓRIA DE IPERÓPERFIL DA CIDADEADMINISTRAÇÕESSÍMBOLOS MUNICIPAISASPECTO URBANOFAMÍLIAS IPEROENSES

BANDA SANTA CECÍLIAO JORNAL DE IPERÓEDUCAÇÃO EM IPERÓFUTEBOL EM IPERÓTEMPLOS RELIGIOSOSSANTO ANTONIOPADRE CALIXTOPERSONAGENS DE IPERÓFRAGMENTOSESTAÇÃO FERROVIÁRIAESTAÇÃO EM 1938ESTAÇÃO SAUDADEESTAÇÕES EM IPERÓRETIRADA DOS VAGÕESDEPÓSITO - OFICINARECUPERAÇÃO - DEPÓSITOO MORRO E A REGIÃOFLONA DE IPANEMAEXPEDIÇÕESBLOG - IPANEMAIPERÓ É O TEMARECUPERAÇÕESASSINE O LIVROLEIA O LIVRO

 

 

Símbolos municipais: parte da identidade de Iperó

 

A Bandeira Nacional, o Brasão da República (Armas Nacionais), o Hino Nacional e o Selo Nacional são os nossos símbolos nacionais. De acordo com a Constituição Federal, é facultada aos estados e aos municípios a adoção de símbolos próprios para retratar a história e características desses locais. Mesmo assim, a maioria dos municípios já adota símbolos municipais como o hino e o brasão.

 

Wagner Costa, pesquisador e especialista em heráldica (ciência que estuda os brasões), explica que “os símbolos municipais são as formas de representação mais expressivas da imagem das comunidades”. Ainda segundo ele, “o brasão de armas, assim como a bandeira e o selo municipais, são figuras simbólicas, insígnias que representam a identidade do município, a sua evolução política, administrativa e econômica, bem como os seus costumes, tradições, arte e religião”.

 

Ocorre que grande parte da população desconhece os símbolos do próprio município. A respeito disso, Costa enfatiza que “um país se torna forte e respeitado, quando o seu povo conhece, entende, divulga e defende os seus princípios e valores, representados pelos símbolos nacionais, estaduais e municipais”. Assim, esta página com os símbolos municipais de Iperó – a bandeira, o brasão e o hino – ajuda a divulgar esses elementos que integram a identidade do município.

 

Hino de Iperó

  

Letra: Jacira Camargo

Arranjo musical: Lauro Holtz

Eleito o hino da cidade através de um concurso realizado pela Prefeitura de Iperó em 1999

 

1 - Nesta terra de riquezas minerais

Descoberta por seu brilho triunfante

Ipanema, Patrimônio Nacional.

Percorrida por valentes Bandeirantes,

Explorando águas e matas sem cessar.

Um povoado veio aqui acontecer.

E mais tarde esse morro tão marcante,

De nossa história que fez Iperó nascer.

 

REF.: Vinte e um de março, alegria e emoção,

Iperó emancipada pra valer.

Já foi berço dos heróis de tradição,

Hoje é área de indústria e lazer.

 

2 - A ferrovia que foi marco do progresso,

Seu ramal da capital interior.

O algodão que hoje só deixa saudades,

São lembranças, mas que tem real valor.

Santo Antonio e Esplanada já se foram,

Nomes dados a esta terra com amor.

Vejo agora Iperó nas dimensões

E a nossa cana adoçando os corações.

 

3 - Terras fartas de belezas naturais,

Rio envolto por seus verdes fulgurantes,

A nobreza da memória vai ficar,

Como as águas que serviam os sitiantes.

Bela Vista, que paisagem magistral,

Foi refletida das grandezas varonis.

Abençoada pelo Pai Celestial,

Hoje Iperó é um orgulho do Brasil.

 

Brasão de Iperó

 

 Criado pela Lei Municipal nº 78/68, modificado pela Lei Municipal nº 428/2003

 

(Arquivo Prefeitura Municipal de Iperó)

 

- LEI Nº 428, DE 22 DE MAIO DE 2003 -

“Dispõe sobre modificações no Brasão representativo do município de Iperó”

 

MARCOS ANTONIO TADEU ANDRADE, Prefeito

Municipal de Iperó, Estado de São Paulo, no uso de

suas atribuições legais, faz saber, que a Câmara

Municipal de Iperó aprovou e ele promulga e

sanciona a seguinte Lei:

 

ARTIGO 1º - Fica alterado o Brasão do Município de Iperó criado pela Lei nº 78/68 e introduz nova redação, cuja descrição na terminologia heráldica passará a ter a seguinte simbologia:

Escudo redondo português, que melhor indica a origem do nosso povo.

O escudo, dividido em duas partes, terá na parte superior em campo de goles, no centro deste, um cartão na cor amarela e sustentado por duas mãos, uma de cada lado, em carnação, algemadas com as correntes partidas, com os seguintes dizeres em sable: MEVS SVM - 21- 03 - 1965 – IPERÓ . No canto superior do campo de goles e à esquerda de quem observa, um escudete na cor prata com uma cruz vermelha no meio e cercada nos quatro ângulos com cantoneiras também vermelhas.

Na parte inferior do escudo, em campo amarelo, uma locomotiva e trilhos da estrada de ferro que se bifurcam duplamente à direita, designando os rumos, Sul (S) Oeste (O) e Noroeste (NO).

Sobre o escudo mural, distintiva autonomia municipal.

Ladeado a destra de quem observa, um pé de milho com três espigas e a senestra, três hastes de arroz espigadas.

Na parte inferior do escudo um listel em blau, com a seguinte frase em letras douradas: VITAM IMPENDERE VERO.

ARTIGO 2º - As peças descritas acima e que compõem o Brasão do município instituído na presente Lei, tem o seguinte significado: A inscrição “MEVS SVM”, significa “SOU LIVRE”; e “VITAM IMPENDERE VERO”, significa “CONSAGRO MINHA VIDA NA VERDADE”.

O escudete é uma referência a Santo Antônio, padroeiro do município. A cruz pertence às armas dos Bulhões, família a quem pertenceu o glorioso Santo Antônio, e as cantoneiras, as armas dos Franciscanos, a cuja ordem pertencia.

O pé de milho e as hastes de arroz representam as maiores culturas agrícolas do município à época.

ARTIGO 3º - Fica revogada a Lei Nº 78/68 .

ARTIGO 4º - As despesas decorrentes com a execução desta Lei correrão por conta do orçamento vigente.

ARTIGO 5º - Esta Lei entrará em vigor na data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

 

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPERÓ, 22 DE MAIO DE 2003.

 

MARCOS ANTONIO TADEU ANDRADE

Prefeito Municipal

 

Publicada em 22 de Maio de 2003.

 

LUCIANE CRISTINA NUNES CARDOSO

Secretária

 

Foi o padre Calixto, no fim da década de 1960, o responsável pela pesquisa que resultou na escolha da frase presente no Brasão de Iperó: VITAM IMPENDERE VERO (Consagrar a vida à verdade). Ele relembra com emoção e orgulho sobre o episódio e nos conta a história:

 

“Quando o povo desconhece o significado de uma frase em latim, isso vira escuridão!

 

Tanto os professores e professoras, hoje em dia, não estudam mais latim. Por isso, é lógico que não saibam traduzir VITAM IMPEDERE VERO.

 

Portanto, eu, Padre Antonio Calixto Martins, me proponho a acender uma luz brilhante para iluminar a mente de nosso povo, traduzindo o lema do Brasão de Iperó, VITAM IMPENDERE VERO, para CONSAGRAR A VIDA À VERDADE.

 

Voltando aos tempos passados, governavam o nosso município, na segunda gestão, 'Carlito' Sartorelli e o vice-prefeito José Calixto. O vice-prefeito me procurou e me pediu para encontrar uma frase em latim que serviria como lema do Brasão de Iperó. Imediatamente comecei a pesquisa nos clássicos latinos e deparei-me com Juvenal, célebre poeta satírico latino, nascido em Aquino. As suas sátiras, cheias de energia e indignação contra os vícios de Roma, são um monumento da literatura latina (aprox. 65-128). Então, Juvenal, no curso da vida, deixa-nos este lema: VITAM IMPENDERE VERO (Consagrar a vida à verdade). Esta expressão encontramos no livro Sátiras, IV, 91. Até o filósofo francês Rousseau fez dela a sua divisa.

 

Depois de termos mergulhado no oceano da vida - VITAM IMPENDERE VERO (Consagrar a vida à verdade) -, podemos, felizes, alçar voo para as alturas do infinito, eterno e absoluto, transcendendo o espaço e o tempo, para alcançarmos o Deus da Verdade na eternidade sem fim!

 

Parabéns, povo de Iperó: VITAM IMPENDERE VERO são os votos mais candentes que devem refletir no coração de cada cidadão que sonha com mais escola, mais saúde, mais emprego e muito mais segurança.”

 

Bandeira de Iperó

 

Criada pela Lei Municipal nº 15/79, modificada pela Lei Municipal nº 429/2003

 

(Arquivo Prefeitura Municipal de Iperó)

 

- LEI Nº 429, DE 22 DE MAIO DE 2003 -

“Dispõe sobre modificações na Bandeira representativa do município de Iperó”

 

MARCOS ANTONIO TADEU ANDRADE, Prefeito

Municipal de Iperó, Estado de São Paulo, no uso de

suas atribuições legais, faz saber, que a Câmara

Municipal de Iperó aprovou e ele promulga e

sanciona a seguinte Lei:

 

ARTIGO 1º - Altera a forma e a composição de cores da Bandeira do Município de Iperó, criada pela Lei Nº Lei 15/79, cuja descrição na terminologia heráldica passará a ser a seguinte: um campo amplo e liso na cor verde (bandeira nacional). Ao centro um losango, na cor branca.

Sobrepondo-se ao losango branco, no centro, o Brasão do Município de Iperó, um escudo redondo português, que melhor indica a origem do nosso povo.

O Escudo, dividido em duas partes, terá na parte superior em campo de goles, no centro deste, um cartão na cor amarela e sustentado por duas mãos, uma de cada lado, em carnação, algemadas com as correntes partidas, com os seguintes dizeres em sable: MEVS SVM - 21- 03 - 1965 – IPERÓ . No canto superior do campo de goles e à esquerda de quem observa, um escudete na cor prata com uma cruz vermelha no meio e cercada nos quatro ângulos com cantoneiras também vermelhas.

Na parte inferior do escudo, em campo amarelo, uma locomotiva e trilhos da estrada de ferro que se bifurcam duplamente à direita, designando os rumos, Sul (S) Oeste (O) e Noroeste (NO).

Sobre o escudo mural, distintiva autonomia municipal.

Ladeado a destra de quem observa, um pé de milho com três espigas e a sestra, três hastes de arroz espigadas.

Na parte inferior do escudo um listel em blau, com a seguinte frase em letras douradas: VITAM IMPENDERE VERO.

ARTIGO 2º - As peças descritas acima e que compõem a Bandeira instituída na presente Lei, têm o seguinte significado: A cor verde representa a nossa vegetação; a cor branca, a índole pacífica do nosso povo; a cor vermelha, as nossas rodovias; o amarelo juntamente com os trilhos e a locomotiva simbolizam a importância da ferrovia na criação e desenvolvimento do município; e o azul que representa os nossos rios. A inscrição

“MEVS SVM”, significa “SOU LIVRE”; e “VITAM IMPENDERE VERO”, significa “CONSAGRO MINHA VIDA NA VERDADE”.

O escudete é uma referência a Santo Antônio, padroeiro do município. A cruz pertence às armas dos Bulhões, família a quem pertenceu o glorioso Santo Antônio e as cantoneiras, as armas dos Franciscanos, a cuja ordem pertencia.

O pé de milho e as hastes de arroz representam as maiores culturas agrícolas do município à época.

ARTIGO 3º - As medidas e os padrões de tecido da Bandeira do Município de Iperó seguirão as normas para confecção das bandeiras do Brasil e do Estado de São Paulo.

ARTIGO 4º - O uso da Bandeira do Município de Iperó será feito sempre junto com o Pavilhão Nacional e do Estado de São Paulo, observando-se o cerimonial previsto na legislação federal que rege o uso da Bandeira do Brasil.

§ 1º- Pelo menos uma vez por semana, durante o ano letivo, é obrigatório o hasteamento solene das bandeiras nas escolas públicas.

§ 2º - Diariamente, nos dias de expediente normal e em datas solenes, as bandeiras deverão ser hasteadas nos mastros da Prefeitura Municipal.

ARTIGO 5º - É obrigatório o ensino do desenho e do significado da Bandeira de Iperó em todos os estabelecimentos de ensino fundamental e do ensino médio, públicos e privados do Município.

ARTIGO 6º - Fica revogada a Lei N 15/79.

ARTIGO 7º - As despesas decorrentes com a execução desta Lei correrão por conta do orçamento vigente.

ARTIGO 8º - Esta Lei entrará em vigor na data da sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

 

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPERÓ, 22 DE MAIO DE 2003.

 

MARCOS ANTONIO TADEU ANDRADE

Prefeito Municipal

 

Publicada em 22 de Maio de 2003.

 

LUCIANE CRISTINA NUNES CARDOSO

Secretária

 

 

Os dados disponíveis no site podem ser utilizados, desde que não sejam omitidos os créditos das imagens e dos textos.

- DESENVOLVIDO POR HUGO AUGUSTO RODRIGUES -

 

FALE CONOSCO